segunda-feira, 17 de agosto de 2009

M141 - Um herói de Portugal “Coronel Pára-Quedista, Sigfredo Ventura Costa Campos


A Guerra do Ultramar, proporcionou à nossa História de Portugal a descoberta de novos e invulgares Heróis, que se distinguiram muito para além daquilo que a Honra e o Dever pela Pátria exige aos seus soldados, excedendo-se em feitos em combate, com alto risco da própria vida, senão mesmo da morte, onde sempre exibiram indeterminados actos de coragem, grande agressividade e valentia excepcionais.

Um deles foi o Coronel Pára-Quedistas, Sigfredo Ventura Costa Campos.

11 de Maio de 2008, 00h02, faleceu no Hospital Militar de Lisboa, um dos “Boinas Verdes” mais condecorados da Guerra de África. Pioneiro da especialidade “Pára-quedista”.

Foi também precursor, instrutor e excelente Combatente - o Coronel Pára-Quedistas, Sigfredo Ventura Costa Campos.

Foi fundador e Comandante do C.I.G.E. - Centro de Instrução do Batalhão de Grupos Especiais Pára-Quedistas (GEP), no Dondo, em Moçambique.

G.E. (Grupos Especiais) e G.E.P. (Grupos Especiais Pára-Quedistas) - forças de Elite, formadas pelo Coronel Pára-Quedista Costa Campos.

O C.I.G.E. foi uma Unidade Militar que nunca aceitou a rendição a favor do inimigo, por manter até final o bom propósito para que sempre fora treinada - o de respeitar o dever para com os valores daqueles que juraram defender: os portugueses que viviam no Ultramar e os valores e símbolos de Portugal.

- Aqui "Galeão" – chama - Há alguém no ar? - Digam se me ouvem – escuto.

- Negativo, "Galeão", estais sós, entregai-vos.

Resposta inequívoca: – NUNCA!

Esta foi uma das últimas mensagens transmitidas pelo “espírito de grupo” da Unidade do Centro de Instrução de Grupos Especiais Pára-Quedistas, no Dondo, em Moçambique, no pós-25 de Abril.

Até hoje, dos 1.000 Pára-Quedistas que fizeram parte dos 12 Grupos da Força de Intervenção Rápida e dos cerca de 20.000 GE, não consta que alguém se tenha “entregue”, ou rendido, no final do conflito ás forças inimigas.

Para os GEP, fica a imagem de um amigo, um corajoso OPERACIONAL e um verdadeiro COMBATENTE de Portugal.

Jamais partirá do coração dos seus homens e dos portugueses que se dignam de o ser.

Sem comentários: