terça-feira, 27 de setembro de 2016

M2019 - 1º sábado de OUTUBRO - DIA 1 -, JANTAR MENSAL RANGER

ATENÇÃO: 1º sábado de OUTUBRO - DIA 1 -, JANTAR MENSAL RANGER

DIA 1 de OUTUBRO de 2016 - A REALIZAÇÃO DO 69º Jantar/ Encontro/ Convívio

NO ESPAÇO RANGER REGIONAL DA CIDADE DO PORTO
(1º SÁBADO DO MÊS)

AOE (Associação de Operações Especiais)
UM ESPAÇO DE TODOS OS RANGERS PORTUGUESES

O habitual, enérgico, inconfundível e indispensável grito de guerra RANGER... está onde estão os RANGERS de Portugal!
Preço: 10 fisgadas

A sua localização é:
Coordenadas em graus decimais (DDD): 41.158316 - 8.591208
Agrupamento Habitacional das Antas
Rua Oliveira Santos, Loja n.º 71
4350 – 006 PORTO
(A cerca de 500 m do Estádio do Dragão)
Também tem acesso pela Rua das Antas.

ESTA VIDA SÃO DOIS DIAS E UM JÁ PASSOU... VIVAM A VIDA… CONVIVAM… RIAM… DIVIRTAM-SE… E JUNTEM-SE A NÓS... NO ESPAÇO DE TODOS OS RANGERS.

APAREÇAM!

QUEM NÃO APARECER NÃO FAZ FALTA NENHUMA = ZEROOOO!

Reservas para: RANGER Lopes - 220 931 820 / 964 168 857 ou RANGER Ribeiro - 965 059 516

terça-feira, 30 de agosto de 2016

M2018 - EXCEPCIONALMENTE, ALTERAMOS PARA DIA 10 de SETEMBRO de 2016 - A REALIZAÇÃO DO 68º Jantar/ Encontro/ Convívio NO ESPAÇO RANGER REGIONAL DA CIDADE DO PORTO





ATENÇÃO: 2º sábado de Setembro - 10 DE SETEMBRO - EXCEPCIONALMENTE, PARA PODERMOS JUNTAR 2 FESTAS. O JANTAR MENSAL RANGER E A CELEBRAÇÃO DA BODA DE PRATA - 25 ANOS -, DO CASAMENTO DO RANGER MANUEL E DA PAULA LOPES, ALTERAMOS ASSIM PARA: 

DIA 10 de SETEMBRO de 2016 - A REALIZAÇÃO DO 68º Jantar/ Encontro/ Convívio  


NO ESPAÇO RANGER REGIONAL DA CIDADE DO PORTO
(1º SÁBADO DO MÊS)
AOE (Associação de Operações Especiais)
UM ESPAÇO DE TODOS OS RANGERS PORTUGUESES

O habitual, enérgico, inconfundível e indispensável grito de guerra RANGER... está onde estão os RANGERS de Portugal!

Preço: 10 fisgadas

A sua localização é:
Coordenadas em graus decimais (DDD): 41.158316 - 8.591208
Agrupamento Habitacional das Antas
Rua Oliveira Santos, Loja n.º 71
4350 – 006 PORTO
(A cerca de 500 m do Estádio do Dragão)
Também tem acesso pela Rua das Antas.

ESTA VIDA SÃO DOIS DIAS E UM JÁ PASSOU... VIVAM A VIDA… CONVIVAM… RIAM… DIVIRTAM-SE… E JUNTEM-SE A NÓS... NO ESPAÇO DE TODOS OS RANGERS.

APAREÇAM!

QUEM NÃO APARECER NÃO FAZ FALTA NENHUMA = ZEROOOO!

Reservas para: RANGER Lopes - 220 931 820 / 964 168 857 ou RANGER Ribeiro - 965 059 516

quinta-feira, 30 de junho de 2016

M2007 - GUERRA DO ULTRAMAR. Filme CARTAS DA GUERRA - Estreia em Setembro

GUERRA DO ULTRAMAR 

Filme CARTAS DA GUERRA - Estreia em Setembro
Marta León


DIVULGAÇÃO

O filme CARTAS DA GUERRA de Ivo M. Ferreira, vai ser apresentado em estreia mundial na Competição Oficial da Berlinale 2016, terá estreia comercial em Portugal no dia 1 de Setembro 2016, e achamos que o filme é do interesse dos ex-combatentes do Ultramar.

Colaborem na divulgação deste filme?

O filme estará em várias salas pelo país fora, me breve se publicará uma lista das salas, assim que ela estiver fechada (deverá ocorrer durante o mês de Agosto).

Todas as informações sobre o filme:

Sinopse:

CARTAS DA GUERRA adapta uma obra do escritor António Lobo Antunes, composta por cartas que este escreveu à mulher, Maria José, durante o período em que esteve em serviço na Guerra Colonial.
Longe de tudo que ama, escreve cartas à mulher à medida que se afunda num cenário de crescente violência. Enquanto percorre diversos aquartelamentos, apaixona-­se por África e amadurece politicamente.
A seu lado, uma geração desespera pelo regresso. Na incerteza dos acontecimentos de guerra, apenas as cartas o podem fazer sobreviver.



Link do trailer e imagens do filme:
http://osomeafuria.com/films/3/70/

Agradece-se desde já a vossa atenção.
Cumprimentos,
------------------------------------
Marta León
O SOM E A FÚRIA
Av. Almirante Reis, 113 – 5º, Esc. 505
1150-014 Lisboa, PORTUGAL
tel +351 213 582 518
tel +351 919 299 133
fax +351 213 582 520
www.osomeafuria.com

quarta-feira, 6 de abril de 2016

M3000 - Vídeo do Desfile em Lamego das primeiras tropas do CIOE - Lamego

Abril de 1960 – Chegavam os primeiros instruendos para o CIOE – Centro de Instrução de Operações Especiais. 

Clique no seguinte link:

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

M2009 - 2 de ABRIL de 2016 - VAI-SE REALIZAR O 65º Jantar/Encontro/Convívio no ESPAÇO RANGER CIDADE DO PORTO

2 de ABRIL de 2016 - VAI-SE REALIZAR O 65º Jantar/Encontro/Convívio 


CONTINUAMOS A COMEMORAR O 10º ANIVERSÁRIO DO ESPAÇO RANGER CIDADE DO PORTO


 (1º SÁBADO DO MÊS). 

AOE (Associação de Operações Especiais)

UM ESPAÇO DE TODOS OS RANGERS PORTUGUESES 

1º SÁBADO DO MÊS


O habitual, enérgico, inconfundível e indispensável grito de guerra RANGER... está onde estão os RANGERS de Portugal! 

Preço: 10 fisgadas

A sua localização é: Coordenadas em graus decimais (DDD): 41.158316 - 8.591208





Agrupamento Habitacional das Antas
Rua Oliveira Santos, Loja n.º 71
4350 – 006 PORTO
(A cerca de 500 m do Estádio do Dragão)

Também tem acesso pela Rua das Antas. 

ESTA VIDA SÃO DOIS DIAS E UM JÁ PASSOU... VIVAM A VIDA… CONVIVAM… RIAM… DIVIRTAM-SE… E JUNTEM-SE A NÓS... NO ESPAÇO DE TODOS OS RANGERS.

APAREÇAM!Reservas para: RANGER Lopes - 220 931 820 / 964 168 857 ou RANGER Ribeiro -  965 059 516  

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

FACEBOOK - USA CENSURA PIDESCA

EM PLENO SÉCULO XXI 
FACEBOOK - USA CENSURA PIDESCA

A PIDE VOLTOU - NO FACEBOOK -, E CENSUROU-ME UM VÍDEO DOS ASSASSINOS DA DAESH - RADICAIS ISLÃMICOS. JÁ NÃO É A PRIMEIRA VEZ E HÁ MAIS GENTE QUE SE QUEIXA.

PARA QUE NÃO HAJAM DÚVIDAS AQUI FICA O VÍDEO.

A BEM DA DEMOCRACIA E DA VERDADE DOS FACTOS, VAMOS DENUNCIAR E COMBATER ESTA NOVA CENSURA, QUER AQUI, POR E-MAIL E TUDO ONDE EU TIVER ACEITAÇÃO.

AJUDEM-ME A DENUNCIAR ESTA NOVA E INADMISSÍVEL PIDE! 

FACEBOOK = PIDES! 

NEM RESPONDEM ÀS PERGUNTAS QUE LHES PONHO SOBRE COMO É QUE JUSTIFICAM A ELIMINAÇÃO DA PUBLICAÇÃO E O MEU BLOQUEIO.

QUE OFENDESSEM OS PADRÕES DA COMUNIDADE DO FACEBOOK - REGRAS DELES? 

https://www.youtube.com/results?search_query=ISIS+MATA+CRIST%C3%83OS 




quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

M2009 - A.O.E. - NATAL 2015 - Jantar de NATAL Encontro/Convívio 12 de Dezembro de 2015 - FÁTIMA

A.O.E. - NATAL 2015

Jantar NACIONAL de NATAL Encontro/Convívio

12 de Dezembro de 2015

(2º sábado do mês)


A.O.E. (Associação de Operações Especiais)

CONCENTRAÇÃO A PARTIR DAS 11H00 junto à capelinha das Aparições,  

Cumprindo a tradição, no final da Eucaristia das 12h30 na capelinha das Aparições, será  recitada a nossa Prece. Para que isto possa acontecer já estamos devidamente  registados  e aprovados pelo Santuário. 

O programa  definitivo será divulgado oportunamente.

Um abraço Ranger
José Guimarães- Tesoureiro

ESTA VIDA SÃO DOIS DIAS E UM JÁ PASSOU... VIVAM A VIDA… CONVIVAM… RIAM… DIVIRTAM-SE…E JUNTEM-SE A NÓS... NO ESPAÇO DE TODOS OS RANGERS.

APAREÇAM!

RESERVA OBRIGATÓRIA!

Reservas para: RANGER Guimarães: 933 258 665

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

M2007 - Oficiais da Guarda Nacional Republicana - Uma Análise Sociológica. NOVO LIVRO DE UM RANGER.

Apresentação do meu livro na Cidade Porto
Fernando Bessa (Coronel GNR/RANGER)

Camaradas Rangers, Familiares e Amigos,

No próximo dia 26 de Novembro de 2015, pelas 18h00, será efectuada a apresentação do meu livro: Oficiais da Guarda Nacional Republicana - Uma Análise Sociológica.

Assim, tenho o grato prazer de convidar todos os Rangers, Familiares e Amigos, a estarem presente no evento e de expressar que a vossa presença será uma grande honra para mim.

Um forte abraço.
Fernando Bessa

Confirmações para o meu e-mail pessoal: a15277@hotmail.com 

quarta-feira, 1 de julho de 2015

M2002 - XXXVIII CONFRATERNIZAÇÃO 2015 - DA ASSOCIAÇÃO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS - RANGER - LAMEGO - programa

XXXVIII CONFRATERNIZAÇÃO 2015

DA

ASSOCIAÇÃO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS-RANGER-LAMEGO

Quinta-feira dia 2 de Julho de 2015 (Manhã)

Local: Quartel de Santa Cruz


✔ C.T.O.E.


08h00 - Içar da Bandeira Nacional.


09h30 - Celebração da Missa do Dia da Unidade.


10h30 – Receção dos Convidados.


10h45 – Guarda de Honra à Alta Entidade (AEnt) que preside (parada Exterior do Quartel de Santa Cruz)


11h10 – Tomada dos lugares na Tribuna pelos Convidados.


11h20 – Forças em Parada prontas


11h30 – Inicio da Cerimónia Militar:


Quinta-feira dia 2 de Julho de 2015 (Tarde)


Inicio das actividades da A.O.E.


Local: Sede da A.O.E.


✔ A.O.E.


16h00 – Abertura de Secretariado e Tesouraria.


A partir das 21h00 – Jantar Livre e convívio nocturno a combinar entre os Sócios Presentes (eventual)


➔ Permitida a pernoita a partir de qinta-feira noite até domingo,em Penude sob credencial.


➔ O acesso nas áreas militares está condicionada a uma credencial emitida no ato de inscrição.


➔ A circulação de bens e pessoas só se fará mediante esta credencial e a áreas pré-definidas.


➔ O controlo é efectuado por contingente anexo ao C.T.O.E.


➔ Na impossibilidade de não estar presente neste horário enviar email para “aoe.geral@gmail.com”a informar


a matricula da viatura e nome das pessoas a aceder ao local. 

______________________________________________________________

Sexta-feira dia 3 de Julho de 2015 (Manha)

Local: Sede da A.O.E.


10h00 – Abertura de Secretariado


12h00 – Fecho e Almoço


Sexta-feira dia 3 de Julho de 2015 (Tarde)


Local: Sede da A.O.E.- Caves da Raposeira


14h30 – Concentração na Sede da A.O.E..


16h00 – Inicio de visita ás Caves da Raposeira.


A partir das 21h00 – Jantar Livre e convívio nocturno a combinar entre os Sócios Presentes (eventual) 

______________________________________________________________

Sábado dia 4 de Julho de 2015 (Manha)

Local: Quartel de Santa Cruz


✔ C.T.O.E./A.O.E.


A partir da 10h00 – Concentração na Parada Exterior do Quartel de Santa Cruz.


10h45 – Homenagem aos Militares Mortos em Combate.


11h00 – Apresentação de Cumprimentos de todos os Sócios da A.O.E., ao Comando do C.T.O.E. (Parada Interior do


11h20 - Cerimónia de apresentação de novos Sócios e Entidades Convidados.(Parada Interior do Quartel de Santa


11h40 – Alocução pelo Comandante da Unidade.


12:30 - Descerramento da placa evocativa da Confraternização 2015.


Sábado dia 4 de Julho de 2015 Almoço


Local: Quartel de Penude


✔ C.T.O.E./A.O.E.


A partir das 13h00 - Almoço Volante Feira das regiões. Cada sócio traz o seu farnel e partilha com os restantes.


➔ Porco no espeto e arroz de feijão para reforço. (Iniciativa dos Sócios da Comissão de Trabalhos de Fafe em


harmonia com os restantes Sócios da A.O.E.)


Sábado dia 4 de Julho de 2015


Local: Quartel de Penude


✔ A.O.E. com as suas Comissões de Trabalhos e iniciativas particulares.


15h00 - Continuação do Convívio após Almoço com actividades.


19h00 – Jantar Convivio para os Presentes.


21H00 – Concerto da O.L.E. (Orquestra Ligeira do Exercito) 

_________________________________________________________________

Domingo dia 5 de Julho de 2015

Local: Quartel de Santa Cruz


✔ C.T.O.E./A.O.E.


10h30 - Acção de esclarecimento para marcação de Assembleia Geral.


13h00 – Almoço Convivo no Refeitório


A partir das 16h00:


DESCONCENTRAÇÃO 


terça-feira, 14 de abril de 2015

M1501 - NÓS ESTAMOS NO FACEBOOK. JUNTA-TE A NÓS.


ADERE se estás nestas condições :
https://www.facebook.com/groups/elitesmilitares/?fref=ts

GRUPO "nascido" a 24 de Julho de 2013 só para RANGERS, COMANDOS, FUZILEIROS E PARA QUEDISTAS. 


Aqui se,colocam fotos e textos relacionados com a vida militar.
PROIBIDOS temas como: 

Futebol,Religião,Política e Publicidade. Os comentários devem ser respeitosos. Máximo de fotos diárias: 6 

Os administradores :
José Casimiro Carvalho (Ranger)
Eduardo Magalhães Ribeiro (Ranger)



quarta-feira, 18 de março de 2015

M1301 - TREINO NA NEVE PARA FORÇAS DE OPERAÇÕES ESPECIAIS

Lamego Acontece publicou no grupo Lamego Acontece
17 de Março de 2015 23:06
TREINO NA NEVE PARA FORÇAS DE OPERAÇÕES ESPECIAIS 


Sempre que há neve na Serra da Estrela o Centro de Tropas de Operações Especiais aproveita não só para integrar esse tipo de ambiente na instrução dos cursos que estejam a desenrolar-se como para treino de destacamentos operacionais. Neste pequeno apontamento vídeo vemos uma equipa da Special Operations Task Unit “Charlie” relembrar a execução de algumas técnicas que só mesmo com neve se podem treinar – mesmo que não seja muita!

As operações em climas frios começaram a ter relevância no então Centro de Instrução de Operações Especiais com a atribuição de um Destacamento de Operações Especiais, a partir de 1997, à Allied Mobile Force (Land), uma unidade multinacional do Comando da NATO na Europa. A AMF(L) operava em muitas geografias, uma delas o Norte da Noruega, o que levou o Exército Português a adquirir para o CIOE material adequado a climas frios, muito frios mesmo! O emprego na AMF(L) estava previsto em documentação da época para locais com temperaturas entre os -40 graus e os +40!

Esta participação terminou porque a força multinacional foi desactivada, mas a capacidade para operar nestes climas manteve-se no CTOE uma vez que novos empenhamentos operacionais com algumas exigências semelhantes foram surgindo para militares de operações especiais.
«No sentido de garantir esta capacidade, as Forças de Operações Especiais incluem no seu aprontamento, aproveitando as condições propiciadas pela Serra da Estrela, o treino de técnicas de combate e de planeamento, execução de deslocamentos com recuso a equipamentos de neve, o desenvolvimento das capacidades de sobrevivência, do treino das capacidades de comunicação a longas distâncias com equipamentos de forma segura e técnicas de escalada e rapel em paredes geladas. Naturalmente que esta capacidade não possuindo uma aplicação iminente na realidade climática do País não deixa de ter aplicabilidade em situações de emergência. Por alguma razão a GNR criou uma unidade de socorro orientada para a Serra da Estrela» diz-nos o Tenente-Coronel Jaime Queijo, 2.º comandante do Centro de Tropas de Operações Especiais.

Veja aqui o vídeo TREINO NA NEVE PARA FORÇAS DE OPERAÇÕES ESPECIAIS e em breve a reportagem OPERAÇÕES ESPECIAIS TREINAM PARA CLIMAS FRIOS

Fonte: CTOE
Treino de Forças de Operações Especiais - Serra da Estrela
Uma equipa da Special Operations Task Unit “Charlie” da Força de Operações Especiais do CTOE - Lameg...

http://www.operacional.pt/treino-na-neve-para-forcas-de-operacoes-especiais/

terça-feira, 17 de março de 2015

M1300 - Profissão: Sniper

Profissão: Sniper  

Carlos Abreu (texto), Ana Baião (fotos), João Roberto (grafismo vídeo) e Expresso (vídeo) 
16 de março de 2015

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem. 

É através da luneta que o atirador identifica o alvo, estático ou em movimento, e introduz as coordenadas que hão de resultar num tiro fatal
Fogo! Uma bala viaja a 860 metros por segundo em direção a um alvo a 900 metros de distância. Nove campos de futebol. Baliza a baliza. Acerta em cheio. Foi disparada por um sniper da Força de Operações Especiais do Exército. Deitado no chão, imóvel, apesar dos quatro graus abaixo de zero. Vento gelado. Alto da serra. Noite cerrada. Ao seu lado está um spotter. O homem que calculou a trajetória. Dupla inseparável. Heróis é coisa de Hollywood.

O tiro de precisão exige treino constante. Físico, técnico e mental. Arte e ciência. Para que, quando for preciso, o alvo seja neutralizado. "Em 90% das missões sniper, senão mesmo em 100%, o desejável é fazê-lo à primeira, com o cano a frio", explica o capitão responsável pelos cursos de formação de snipers. Não são reveladas as identidades. Nas operações especiais o anonimato é regra de ouro. Em nome da segurança. Sua e de quem lhe está próximo. Rosto sempre protegido por um gorro passa montanhas. Só as divisas indicam a patente. "Não há um terceiro disparo", sublinha. Se revelar a sua posição, a parelha, infiltrada em território inimigo, é uma presa fácil. 


"Muitos países perderam parelhas sniper em teatros como o Iraque e o Afeganistão por projetarem para o terreno apenas o binómio. Chegou-se à conclusão que estes homens não podiam ir sozinhos e decidiu-se enviar também mais um homem para garantir a segurança do grupo e outro para assegurar as comunicações com o escalão superior. Assim, também conseguem distribuir melhor a carga que, se fosse apenas a parelha, podia chegar aos 40 quilos por militar consoante o tempo que terão de passar no terreno", explica o capitão.

"Quando um sniper é abatido, para além da vida humana que se perde e de tudo o que isso significa, perdem-se também imensas horas despendidas com o seu treino" acrescenta o oficial responsável pelos cursos do principal centro de formação de snipers das Forças Armadas Portuguesas. Carreiras de tiro no quartel de Penude, alvos em movimento e a curta distância, e na Serra da Gralheira, a 1200 metros de altitude, alvos estáticos a longa distância. Rangers de Lamego.

Todo o sniper começa por fazer o fato que o há e tornar praticamente invisível numa mata ou num areal. Mas o Exército já adquiriu alguns ghillie suit mais sofisticados, com capacidade antitérmica infravermelha. Para ver sem ser visto, rasteja-se até ao local do disparo onde se ficará imóvel o tempo que for preciso. Na boca do cano da AW 7.62 está um supressor de ruído que permite eliminar o som do disparo até 70%. Saem discretamente como entraram, levando consigo as cápsulas das balas. Sem deixar rasto

O sniper é, antes de mais, um militar de operações especiais. No duríssimo curso em que conquistou a boina verde musgo a sua capacidade de resistir à dor, física e psicológica, foi levada ao limite. Fome, sede, frio. Stresse total. Seis meses para oficiais e sargentos e doze semanas para praças. Irmãos de armas. Depois de passarem cerca de um ano numa das unidades táticas, podem candidatar-se ao curso de sniper. Todos os anos há dez novas vagas. Cinco chegarão ao final.

Para serem admitidos, terão de marchar quinze quilómetros com dez quilos às costas, prestar duas provas de tiro de precisão com diferentes espingardas automáticas e apresentar uma visão perfeita. Dez em dez. "A cada candidato é também feito um inquérito para saber se tem vícios, isto é, se fuma, se é um indivíduo nervoso, impulsivo. Não fumar e manter a calma nos momentos mais críticos é fundamental. Estas provas de seleção destinam-se a reduzir as possibilidades de insucesso no curso de sniper, sempre acima dos 50% nos últimos anos", explica o capitão.

Quem já é sniper também tem de cumprir, todos os anos, entre janeiro e fevereiro, o exercício de certificação operacional. Lamego abaixo de zero. Para continuar a fazer parte deste pelotão, cada militar tem de obter, pelo menos, 80% em cada um dos exercícios. "Se um operacional não atingir essa taxa terá de dar lugar a um outro que consiga. Estamos a falar do desenvolvimento de técnicas de tiro de precisão a longas distâncias", insiste o capitão. Mas os cursos vão muito para além do tiro. E nem é aí que os militares enfrentam o seu maior desafio. Mas já lá vamos.

O sniper é, antes de mais, um mestre da dissimulação. Ver sem ser visto. No curso de sniper os instruendos começam por construir o seu próprio fato. Dão-lhe 48 horas. O ghillie suit nasce de pequenas tiras de camuflado fixadas com uma pistola de cola quente. Dezenas de retalhos que hão de torna-lo invisível. Ou quase. "Deve-se camuflar as formas características do corpo para fiquem dissimuladas entre a vegetação. Os cotovelos e os joelhos são protegidos para que se consiga estar mais tempo em posição", revela um sniper. No exercício de certificação operacional, os homens têm apenas 20 minutos para vestirem o fato e camuflar a arma. Apenas o supressor de ruído da longa espingarda AW 7.62 da britânica Accuracy International ficará de fora. "Aquilo que se pede ao sniper é que rentabilize ao máximo a sua arma. Como permitem fazer tiro de precisão até aos 900 metros, quanto mais longe estiver do alvo melhor garante a sua segurança", lembra o capitão.

Apesar de levarem consigo um GPS, os snipers têm de saber determinar a sua localização. Pode ser a diferença entre a vida e a morte, sempre que precisem de pedir apoio aéreo. Em missão, protegem-se contra qualquer eventualidade recorrendo à espingarda automática HK416 com uma cadência de fogo superior a 600 tiros por minutos. Para efetuar disparos sobre alvos até 900 metros usam a Arctic Warfare, calibre 7.62 milímetros, da Accuracy International.

Durante as dez semanas do curso de sniper, os militares realizam ainda diversos exercícios de observação para estimar, à vista desarmada, a distância a que está o alvo ou, já com recurso a aparelhos óticos, que tipo de armamento tem o inimigo. Aprende ainda a determinar a sua posição por triangulação numa carta topográfica. Apesar de levarem sempre um GPS, os operacionais sabem que o aparelho pode avariar-se no preciso momento em que tenham de pedir, por rádio, apoio aéreo. Resgate. "Quando há fortes indícios de que o militar vai ter sucesso no curso aprende a usar a estação meteorológica portátil ou os binóculos para medir distâncias e identificar o armamento na posse do inimigo", explica o capitão.

Um tiro certeiro até aos 900 metros não é fruto de sorte. Resulta da medição rigorosa da temperatura do ar, altitude, pressão atmosférica, direção e velocidade do vento. "Tudo isto influencia a trajetória do projétil", explica o tenente que comanda o pelotão sniper. "As condições meteorológicas variam constantemente. Consegue-se, por exemplo, ter a perceção do vento que está no nosso local e no local do alvo, mas entre a nossa posição e a do alvo pode haver ventos cruzados. Daí a necessidade do spotter efetuar todos os cálculos que permitam minimizar um erro eventual", insiste.

"A partir do momento em que o sniper dispara, o spotter deve fazer o seguimento do projétil para determinar o ponto de impacto. Se eventualmente falhar o alvo, o spoter rapidamente dá as correções ao sniper que as volta a introduzir na luneta da arma. Este remunicia e rapidamente executa o segundo disparo", conta o tenente.

"Todo o tiro é feito para o centro de massa do ser humano, a zona do peito, a parte que confere maior área. É a primeira zona de impacto. Existe uma segunda, a cabeça", revela o capitão. E se estiver a usar um colete à prova de bala? "Se o alvo estiver a usar proteção balística teremos de disparar munições perfurantes para poder atingir os órgãos vitais", esclarece.

Mas o maior desafio que estes homens dizem enfrentar em cada missão, nem é o tiro mas a infiltração. Chegar à base de fogos, o local de onde será feito o disparo, sem ser visto exige perícia. Força. "Numa operação poderemos fazer uma infiltração de vinte quilómetros durante a qual passamos por intempéries, adversidades. Daí a condição psicológica e física do sniper ser crucial e por isso muito trabalhada, quer nos cursos, quer na componente operacional. Não somos chamados só quando está bom tempo, mas quando é necessário", conta o tenente. Sempre que possível progridem no terreno junto a linhas de água. "Permitem uma aproximação dissimulada, sem expor a silhueta", acrescenta o comandante do pelotão sniper. Afastados de dia. À noite juntos. Sempre em silêncio. "A infiltração sem ser detetado é a parte mais estimulante. Vem da essência da caça: aproximarmo-nos de presa sem sermos detetados", resume um operacional.

Sobre missões concretas ninguém fala. Informação classificada. Top-secret. O Expresso sabe, no entanto, que os snipers da Força de Operações Especiais estiveram em Lisboa, a 19 de 20 de novembro de 2010, na última cimeira da NATO. Treinados para intervir também em meio urbano podem apoiar as forças policiais, apesar de não ser a sua principal missão. Os comandantes garantem que estes homens treinam diariamente para serem chamados, onde e quando forem precisos.

Sem dramas morais nem telemóveis durante uma missão, como no filme em que Clint Eastwood conta a história Chris Kyle, o sniper americano a quem o Pentágono confirmou 160 mortes, incluindo uma criança, e que lhe conferiu o estatuto do mais letal da história militar dos EUA. "A nossa missão é chegar à altura e fazermos o nosso trabalho, independentemente do que esteja do lado de lá", garante um sniper português.

Carlos Abreu (texto), Ana Baião (fotos), João Roberto (grafismo vídeo) e Expresso (vídeo) 
16 de março de 2015

Ler mais:
http://expresso.sapo.pt/profissao-sniper=f913423 

https://www.youtube.com/watch?v=kM5L6vCyXbw&feature=youtu.be