quarta-feira, 12 de junho de 2013

M1028 - Porque não vou ao 10 de Junho! por Manuel Barbosa (Combatente por Portugal - GE)

Porque não vou ao 10 de Junho!

por Manuel Barbosa (Combatente por Portugal, em Moçambique nos Grupos Especiais) 


SE A MEMÓRIA NÃO ME DEIXA FICAR MAL, PELO HÁ TRÊS ANOS CONSECUTIVOS QUE ANUNCIAM :

- SALTO DE PARA-QUEDISTAS E NADA DISSO ACONTECE.

- PASSAGEM DE AERONAVES E NADA DISSO ACONTECE.

Em primeiro lugar estou farto que me enganem e de propaganda barata. Para isso já temos a casta politica há 40 anos.

Para cúmulo este ano pôem alguém a discursar que quer que os portugueses comam CAPIM e disso já tive suficiente quando estive em Moçambique e NÃO QUERO E ESTOU DISPOSTO A LUTAR para que os PORTUGUESES actuais não saibam o que isso é.

Posto isto e pela primeira vez não vou a Lisboa ao "10 de Junho". 

Voltarei a ir quando os ideais pelo que lutei: PORTUGAL LIVRE, SOBERANO E INDEPENDENTE estiverem presentes.
Não vou, porque:

Estou farto de escória! 

Estou farto de escumalha! 

Estou farto de ser roubado, gozado, ludibriado! 

Estou farto destes gandulhos pós-abrilada. 

E para cúmulo, este ano põem a discursar uma não sei quem é que disse que os portugueses têm de comer "capim". QUE O COMA ESSA MULHERZINHA!!!!!!!!!!!!!!!! DOUTORA EM QUÊ????? 

E porque em vez desta gente que não diz nada aos Combatentes não põem gente do MOVIMENTO NACIONAL FEMENINO a falar? 

O MOVIMENTO NACIONAL FEMININO sim que foi uma mais valia para PORTUGAL E PARA AS TROPAS!!!!!!!!!! 

Porque insistem em escolher para falar energúmenos com ligação ao poder a arengar à gente???? QUE VÃO A BORDA-MERDA!!!!!!!!!!!!!! 

Já basta de tanto servilismo com esta gentuça ladrona, inútil, incompetente e parasitária!!!!!!!!!!!!!! 

ESTOU FARTO DESTA ESCUMALHA ABRILEIRA. BANDO DE TRAIDORES E COBARDES. 

EU NÃO QUERO SER COLABORADOR DESTA ESCUMALHA DE "VICHY". QUEM QUISER QUE O SEJA! 

EU SÓ PENSO EM LIBERTAR PORTUGAL DESTA ESCUMALHA.

REPITO, LIBERTAR PORTUGAL DESTA ESCUMALHA. DESTE ESTERCO HUMANO QUE NOS QUER CONVERTER EM ESCRAVOS!!!!!!!!!!!!!!!!!!! 

NUNCA mais estarei presente num "10 DE JUNHO" promovido ou patrocinado ou apoiado por ESCÓRIA ABRILEIRA. 

E TENHO MEUS RECEIOS QUE A MINHA ASSOCIAÇÃO, A ASSOCIAÇÃO DOS GE'S/GEP'S, O SUPRA-SUMO DAS TROPAS ESPECIAIS DE PORTUGAL, DO PORTUGAL LIVRE, SOBERANO E INDEPENDENTE, ESTEJA A APOIAR/PATROCINAR ESTA ESCÓRIA. 

MAS EU, REPITO EU, MANUEL BARBOSA, NÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! 

SE O SAUDOSO CORONEL COSTA CAMPOS ESTIVESSE VIVO DUVIDO, MELHOR, TENHO A CERTEZA, DE QUE ISTO NÃO PASSARIA. 

OU NOS MANTEMOS FIRMES OU ESTA ESCÓRIA, ESTA ESCUMALHA DE COBARDES E TRAIDORES ABRILEIROS ACABARÁ MESMO DE TERMINAR COM PORTUGAL!!!!!!!!

VIVA PORTUGAL SOBERANO, INDEPENDENTE E LIVRE DE ESCUMALHA E TRAIDORES ABRILEIROS!!!!!!!!!!!!!!!!! 

ESTOU FARTO, FARTO, FARTO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

domingo, 9 de junho de 2013

M1021 - 10 de Junho - Dia de Portugal



Os Combatentes da Guerra do Ultramar estão completamente divididos, para gozo de uns e tristeza de outros.

No dia 10 de Junho - Dia de Portugal -, uns vão para a cerimónia presidida pelo Sr. Presidente da República, outros para Belém/Lisboa, outros para diversas cerimónias espalhadas por todos o país, outros vão à pesca e outras distracções, e outros a lado nenhum pois ficam em casa. 

Como é que uma classe destas pode querer ser respeitada e admirada?

Como se não bastasse, as cerimónias junto ao Monumento aos Combatentes da Guerra do Ultramar, estão a ser altamente contestadas e abandonadas por inúmeros Combatentes. 

A Direcção do Núcleo de Setúbal da Liga dos Combatentes, vai estar presente nas cerimónias do 10 de Junho em Belém mas não leva o Estandarte do Núcleo e às 12 horas e 10 minutos abandona a cerimónia em sinal de protesto à oradora convidada.

Em causa estão os comentários feitos na terça-feira dia 06 de Novembro de 2012, na Sic Notícias, às 23 horas e 45 minutos, em que a Srª Drª disse, e passo a transcrever:

“... nós vivemos duma maneira totalmente idiota... ”

“Vamos ter que empobrecer muito, mas sobretudo vamos ter de reaprender a viver mais pobres”

"... estamos a empobrecer porque vivíamos acima das nossas possibilidades... "

"... cá em Portugal podemos estar mais pobres, mas não há miséria... "

"... há que fazer uma lógica quase doméstica, de contabilidade doméstica, se não temos dinheiro para comer bifes todos os dias, não podemos comer bifes todos os dias."

E ainda pelas as declarações prestadas à RPT1, a oradora, Srª Drª Maria Isabel Jonet disse: 

“que basta um refeição por dia para uma criança ficar bem”

Muitas outras dezenas de Combatentes também não vão estar presentes nestas cerimónias.


quinta-feira, 6 de junho de 2013

M1019 - 10 de JUNHO em Belém - Junto ao Monumento aos Combatentes do Ultramar



COMUNICADO À IMPRENSA

XX ENCONTRO NACIONAL DE HOMENAGEM AOS COMBATENTES

10 DE JUNHO DE 2013

A Comissão Executiva para a Homenagem Nacional aos Combatentes 2013 promove no próximo dia 10 de Junho, junto ao Monumento aos Combatentes do Ultramar, em Belém, Lisboa, o seu XX Encontro Nacional. As cerimónias que ali terão lugar têm por objectivos comemorar o Dia de Portugal e prestar homenagem a todos aqueles que tombaram em defesa dos valores e da perenidade da Nação Portuguesa. 

Por esta razão, ali se reúnem sempre um tão grande número de Portugueses, não só os que foram combatentes no ex-Ultramar e os que mais recentemente serviram em missões de paz no estrangeiro, mas também todos aqueles que, amantes da nossa História e envolvidos na construção de um futuro mais próspero para a sociedade portuguesa, querem ser participantes activos nesta homenagem. 

O programa é o seguinte:

10H30 – Missa no Mosteiro dos Jerónimos presidida pelo Senhor Bispo D. Nuno Brás;

11H30 - Concentração para a cerimónia;

12H00 - Abertura pelo Presidente da Comissão, Almirante Melo Gomes;

12H05 - Cerimónia inter-religiosa (católica e muçulmana);

12H10 - Discurso de homenagem aos combatentes pela Sra. Dra. Isabel Jonet;

12H20 - Homenagem aos mortos e deposição de flores;

12H40 - Hino Nacional (salva protocolar por navio da Marinha);

12H45 - Passagem de aeronaves da Força Aérea;

12H50 - Passagem final pelas lápides;

13H10 - Salto de pára-quedistas do Exército;

13H20 - Almoço-convívio.

Serão convidados de honra a Câmara Municipal de Lisboa, todas as Chefias Militares, os militares agraciados com a Ordem Militar da Torre e Espada, o Comando Geral da GNR, a Direcção Nacional da PSP, os Presidentes das Associações de Combatentes, o Secretário Executivo da CPLP e os Adidos Militares ou Culturais junto das embaixadas da CPLP. 

Todos os portugueses são convidados a participar nesta homenagem aos que deram a vida pela Pátria e, desta maneira, celebrarem o Dia de Portugal.

Pomo-nos desde já à disposição para prestar mais esclarecimentos ou, inclusivamente, para participar numa entrevista sobre a matéria, em data e hora a combinar. Em anexo se envia um programa-convite das cerimónias e uma foto do local.

Comissão Executiva para a Homenagem Nacional aos Combatentes 2013 (CPHM)

Palácio da Independência - Largo de S. Domingos, 11 - 1150-320 Lisboa

Tmóvel: 937 026 693 encontro.combatentes@gmail.com 10dejunho.org 


M1017 - Em vésperas do "10 de Junho dos Combatentes". por Jonathan Llewellyn

Em vésperas do "10 de Junho dos Combatentes"

(publicado em 01Jun2013 por Jonathan Llewellyn, em "Publicações recentes de outras pessoas") 

A insurgência nos territórios ultramarinos portugueses, não tinha nada a ver com movimentos nacionalistas. Primeiro, porque não havia (como ainda não há) uma nação angolana, uma nação moçambicana ou uma nação guineense, mas sim diversos povos dentro do mesmo território. E depois, porque os movimentos de guerrilha foram criados e financiados por outros países.

ANGOLA – A UPA, e depois a FNLA, de Holden Roberto foram criadas pelos americanos e financiadas (directamente) pela bem conhecida Fundação Ford e (indirectamentre) pela CIA.
O MPLA era um movimento de inspiração soviética, sem implantação tribal, e financiado pela URSS. Agostinho Neto, que começou a ser trabalhado pelos americanos, só depois se virando para a URSS, tinha tais problemas de alcoolismo que já não era de confiança e acabou por morrer num pós-operatório. Foi substituído por José Eduardo dos Santos, treinado, financiado e educado pelos soviéticos.
A UNITA começou por ser financiada pela China, mas, como estava mais interessada em lutar contra o MPLA e a FNLA, acabou por ser tolerada e financiada pela África do Sul. Jonas Savimbi era um pragmático que chegou até a um acordo com os portugueses.

MOÇAMBIQUE - A Frelimo foi criada por conta da CIA. O controleiro do Eduardo Mondlane era a própria mulher, Janet, uma americana branca que casou com ele por determinação superior. Mondlane foi assassinado por não dar garantias de fiabilidade, e substituído por Samora Machel, que concordou em seguir uma linha marxista semelhante à da vizinha Tanzânia. Quando Portugal abandonou Moçambique, a Frelimo estava em tal estado que só conseguiu aguentar-se com conselheiros do bloco de leste e tropas tanzanianas e guarda pessoal da Zâmbia.

GUINÉ – O PAIGC formou-se à volta do Amílcar Cabral, um engenheiro agrónomo vagamente comunista que teve logo o apoio do bloco soviético. Era um movimento tão artificial que dependia de quadros maioritariamente caboverdeanos para se aguentar (e em Cabo Verde não houve guerrilha). Expandiu-se sobretudo devido ao apoio da vizinha Guiné-Conakry e do seu ditador Sekou Touré, cujo sonho era eventualmente absorver a Guiné Portuguesa.

Em resumo, territórios portugueses foram atacados por forças de guerrilha treinadas, financiadas e armadas por países estrangeiros.
Segundo o Direito Internacional, Portugal estava a conduzir uma guerra legítima. E ter combatido em três frentes simultâneas durante 13 anos, estando próximo da vitória em Angola e Moçambique e com a situação controlada na Guiné, é um feito que, militarmente falando, é único na História contemporânea.

Então, porque é que os Portugueses parecem ter vergonha de se orgulhar do que conseguiram?

(publicado em 01Jun2013 por Jonathan Llewellyn, em "Publicações recentes de outras pessoas")