sábado, 1 de janeiro de 2011

M298 – OS RANGERS vistos por um ex-Combatente da Guerra do Ultramar


OS RANGERS vistos por um ex-Combatente da Guerra do Ultramar

O RANGER Guimarães (foto da esquerda) numa das suas divagações rotineiras pela internet, descobriu um interessante depoimento sobre a nossa especialidade no site: Fórum dos Veteranos da Guerra do Ultramar e ex-Militares das restantes ex-Províncias, destinado à comunidade de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar (Angola, Guiné e Moçambique) e de ex-Militares que estiveram nas ex-Províncias Ultramarinas (Cabo Verde, Índia, Macau, São Tomé e Princípe e Timor) no período de 1959 a 1975, que com a devida vénia aqui transcrevemos na íntegra:
Com os nossos melhores cumprimentos e agradecimentos ao subscritor deste depoimento, pela sua frontalidade e honestidade aplicada nas suas palavras.
Para que possam visitar o site mencionado em epígrafe, registamos o respectivo endereço:

http://ultramar.forumeiros.com/formacao-militar-f6/formacao-militar-t83.htm


3 comentários:

antonio barbosa disse...

Bom Ano companheiros
Pena foi que já tarde demais as chefias chegaram á conclusão que era do conhecimento de todos nós ou seja a formação de Companhias de RANGERS há imagem do que acontecia com as Companhias de Comandos, pois como por variadissimas vezes foi dito era bastante dificil por-mos em pratica os conhecimentos adquiridos na nossa estadia em LAMEGO ou PENUDE, felizmente ainda existem pessoas estranhas á n/ especialidade que com imparcialidade enaltecem as qualidades do curso que concluimos.
RANGER Antonio Barbosa

Bernardino Martins disse...

Um Bom Ano CAMARADAS
O Antonio barbosa tem razão foi pena não terem formado RANGERs a nivel de COMPANHIAS.
Fui formado em Lamego conheci a vossa instrução, na altura não era pera doce mas era feita para HOMENS e não para AMÉLIAS.
Em MOÇAMBIQUE por onde passei conheci alguns RANGERs, abençoadas Companhias que tinham RANGERs, essas sim tiveram algum exito.
Voces tambem tiveram um papel na guerra do ultramar, todos nós cumprimos a nossa missão como portugueses que fomos e continuamos a se-lo.
Um RANGER nas companhias onde era incorporado, era o "Senhor da Guerra", todos á sua volta sentian-se protegidos.
Talves por essa razão, as chefias da epoca tivera essa decisão da formação de RANGERs só para Sargentos e Oficiais e incorporadas em várias companhias.
Meu AMIGO tenha sempre orgulho de ser "RANGER".
Na Associação dos Ex Combatentes de Vila do Bispo, na qual eu represente como Presidente da Direcção, tambem tenho um RANGER que esteve em MOÇAMBIQUE.
Saudações Veteranas
Dum COMANDO
Bernardino Martins
Nome de Guerra "SARDINHA"

Eduardo J. Magalhães Ribeiro disse...

Amigo e Camarada Sardinha muitíssimo obrigado pelas sua honestas e descomplexadas palavras.

Quem assim escreve, como você aqui escreveu, merece toda a nossa simpatia e acolhimento.

Logo que passar por aí, em Vila do Bispo, vou perguntar por si, a ver se é possível dar-lhe um abraço fraterno,

Palavra do seu Amigo e Camarada RANGER Magalhães Ribeiro