segunda-feira, 17 de agosto de 2009

M140 - RANGERS dos U.S.A. em acção: "O resgate do Soldado Ryan"

Os RANGERS norte-americanos superiormente comandados pelo Capitão John Miller, em plena e heróica acção numa história dramática e excepcional, passada durante o dia D (ver M136) e dias seguintes, na aguerrida e mortífera 2ª Guerra Mundial.

O produtor cinematográfico Steven Spielberg teve a genial ideia de refazer em filme os factos então vividos, e relatados por um dos poucos sobreviventes da operação levada a efeito para lhe salvar a vida, que é senão o homem que deu o seu nome ao título do filme - Soldado Ryan.

Uma vez que encontrei descrições fiéis e soberbas da idealização e construção do filme em Webcine e Wikipédia, reproduzo com os devidos agradecimentos as referidas descrições:

O Resgate do Soldado Ryan

(Webcine)

Sinopse: Dia 6 de Junho de 1944, o famoso "Dia D", o Capitão John Miller (Tom Hanks) tem a missão de desembarcar na praia de Omaha e livrá-la dos alemães, para que as tropas aliadas possam usá-la como ponto de entrada para a guerra. Depois de muitas mortes, John Miller consegue tomá-la, mas não sem perder quase todo o seu pelotão, do qual só lhe restaram seis soldados : Soldado Reibben (Edward Burns), Sargento Horvath (Tom Sizemore), Soldado Caparzo (Vin Diesesl), Soldado Mellish (Adam Goldberg), Soldado Jackson (Barry Pepper) e Médico Wade (Giovanni Ribisi).

Ao mesmo tempo nos EUA – Uma secretária percebe nos papéis de baixas de guerra que o sobrenome Ryan se repetia 3 vezes, logo encaminhou a papelada ao Chefe deo Estado Maior, este lendo uma carta de Abrahan Lincon diz que vai salvar o quarto membro da família, e trazê-lo de volta, mesmo sem saber se este ainda está vivo.

A missão é entregue ao Capitão John Miller, que teria como recompensa se conseguissem resgatar o Soldado James Ryan (Matt Damon), ele e o seu pelotão, ganhar o direito de retornar à casa. Para isso Capitão John Miller recruta o Cabo Upham (Jeremy Davies), pois este era um ótimo tradutor, embora sem experiência em combate.

No caminho o pelotão começa a questionar se é justo arriscar oito vidas, para salvar apenas uma, ao que o Cap. Miller diz, que se fosse preciso isso para voltar para casa, ele o faria.

De cidade em cidade o pelotão vai passando e procurando Ryan, sem muita sorte, durante o caminho, acontecem baixas, o Soldado Carpazo e o Médico Wade morrem em lutas, essas baixas levam o pelotão a brigar entre si questionando-o se é justo o preço de uma vida.

Dias depois o pelotão encontra-se com Ryan, ele estava defendendo uma ponte (coisa preciosa numa guerra), o Capitão John Miller dá-lhe a notícia de que Ryan já perdera os 3 irmãos na guerra, e que lhe foi incubida a missão de levá-lo para casa vivo. Ryan não aceita e diz que quer continuar junto dos seus camaradas.

Depois de muito se discutir, o Capitão John Miller decide que o pelotão dele vai unir-se a outro, para emboscar os alemães que se aproximavam, o único problema é que eles contavam com pouca artilharia pesada e os inimigos, que se aproximavam, pareciam vir munidos de tanques.

Então começa a corrida contra o tempo, a única vantagem que Miller e seu pelotão têm, é de estarem no meio de uma cidade em ruínas, ele decide aproveitar essa vantagem e armar armadilhas, preparando assim uma emboscada para os alemães que se aproximavam.

Depois de armadas as armadilhas e com todos a postos, Jackson dá sinais do alto da torre, eles são em 30 a 50 e ainda dois tanques, nesse momento todos se desesperam, mas nada de desistir, todos vão para os seus lugares e a batalha começa, muitos alemães tombam perante a emboscada armada por Miller.

Mas os que sobram ainda são muito e com poder de fogo mais alto, uma MD-11 aparece no meio dos alemães e faz a diferença, Miller e seus soldados começam a recuar, Jackson morre, depois Mellish morre também e Upham com medo não fez nada para ajudá-lo. Em seguida quem tomba é o sargento Horvart, recuados para o outro lado da ponte, para que essa seja explodida Miller é baleado e não consegue detonar a ponte. Um tanque vem em sua direção, ele vai ser atropelado, quando do céu surgem bombardeiros americanos que vêm em seu resgate, logo tudo é resolvido. Mas a que preço?

Prêmios:

Óscar: Vencedor dos Prêmios de Melhor Diretor, Melhor Fotografia, Melhor Montagem, Melhor Som e Melhor Montagem de Efeitos Sonoros.

Indicado aos Prêmios de Melhor Filme, Melhor Ator (Tom Hanks), Melhor Direção de Arte, Melhor Maquiagem, Melhor Roteiro Original e Melhor Trilha Sonora de Drama.

Globo de Ouro: Vencedor dos Prêmios de Melhor Filme em Drama e Melhor Diretor - Indicado aos Prêmios de Melhor Ator em Drama (Tom Hanks), Melhor Trilha Sonora e Melhor Roteiro.

Grammy: Vencedor do Prêmio de Melhor Composição Instrumental feita para Cinema.

Dados recolhidos in site Webcine: http://www.webcine.com.br/filmessi/ryan.htm

O Resgate do Soldado Ryan

(Wikipédia)

O Resgate do Soldado Ryan é um filme norte-americano de 1998 da Paramount Pictures, dirigido por Steven Spielberg e estrelado por Tom Hanks no papel do capitão John Miller e Matt Damon no de soldado Ryan. Tornou-se muito falado pelas suas realistas cenas de batalha e foi inspirado numa história real.

Recebeu cinco Óscars e um Globo de Ouro. Faturou US$ 479 milhões e é uma das 50 maiores receitas de bilheteira de sempre.

A história desenrola-se durante a Segunda Guerra Mundial, começando com o desembarque das forças aliadas na Normandia no Dia D, na Praia de Omaha.

Após o ataque, descobre-se que três irmãos de Ryan morreram em combate. Ao capitão John Miller (Tom Hanks) e seus homens é designada a missão de resgatar o último filho de uma mãe destroçada, James Francis Ryan, que era parte do pelotão de paraquedistas que caiu no lugar errado, podendo estar em qualquer lugar da França. O soldado Ryan (Matt Damon) pertencia à 101ª Company do 506º Regiment.

Era um airborne, ou seja um paraquedista altamente treinado para combater, mas acima de tudo para defender pontos e objetivos estratégicos, como pontes, estradas, vilas e aldeias. A 101ª Airborne Company desempenhou um papel muito importante durante a invasão da Normandia, porque foram lançados por detrás das linhas inimigas, e conseguiram reter o avanço alemão que se dirigia para as praias. Combateram também em dezembro de 1944 nas Ardenas.

© As imagens são propriedade dos seus respectivos produtores.


Sem comentários: